Estudos apontam que gargalhadas diminuem as dores.
 
Muitas pesquisas já mostraram que sorrir faz bem à saúde. O riso estimula a produção de endorfina, hormônio ligado à sensação de bem-estar. “Além disso, o efeito que a risada proporciona ao corpo faz com que aconteça um relaxamento nos vasos sanguíneos, melhorando a circulação e a pressão arterial”, diz a psicoterapeuta, Miriam Barros. 

No entanto, o que pesquisadores da Grã-Bretanha constataram foi que a risada também pode agir como analgésico. O experimento mediu a reação dos participantes à dor, colocando uma sacola de gelo sobre o braço por quanto tempo aguentassem. 

Divididos em dois grupos, um assistiu a um vídeo de comédia de 15 minutos, e o outro assistiu a um programa entediante. Submetidos novamente ao teste do gelo, os que tinham dado gargalhadas foram capazes de suportar até 10% mais do que antes. Já o outro grupo ficou menos resistentes. 

É importante enfatizar, que, segundo a pesquisa, o efeito só acontece com uma boa gargalhada, nada de riso contido. Para o coordenador do estudo, professor Robin Dunbar, o esvaziamento dos pulmões que causa o efeito analgésico, pois é quando o corpo libera a endorfina.

Para o psicólogo clínico comportamental, Florival Scheroki, é possível aprender a dar risada. “É preciso saber usar autenticamente o seu sorriso, saber ler o sorriso dos outros, sentir desejo de sorrir, aprender a sorrir”. Para finalizar, Florival dá uma dica para quem pretende rir mais: “conviva com pessoas que sorriem bastante; a tendência é passar a sorrir”.
 
Com informações do portal Terra.